Home Destaque Sem Foto Nhonho convoca classe política e sociedade para barrar mineração no Rio das...
fullhome_2
fullhome_1

Nhonho convoca classe política e sociedade para barrar mineração no Rio das Mortes


| Fonte: Da Redação NMT
Parlamentar denunciou processo avançado de grupo para explorar rio, fundamental à cidade...

O vereador Elton Baraldi (MDB), o Nhonho, usou seu discurso na Câmara de Vereadores de Primavera do Leste, nos últimos dias, para alertar a classe política local, entidades e a população em geral para um processo em estágio avançado na Agência Nacional de Mineiração – ANM que pode resultar na exploração de ouro no Rio das Mortes.

De acordo com a informação trazida pelo parlamentar, o processo 86325/2020 – uma requisição feita na ANM pela Cooperativa dos Mineradores “Vale do Guaporé” – depende de poucos detalhes para liberar a extração do minério em uma área total de 4.876 quilômetros e 47 quilômetros no leito do rio.

“Todos aqui conhecem o Rio das Mortes. É um rio lindo, fantástico, nossa maior riqueza natural e que estará certamente condenado caso esse processo seja finalizado. A exploração do minério ouro requer o uso de mercúrio e isso é o fim deste patrimônio maravilhoso que temos. A contaminação é certa”, chamou a atenção.

O vereador chamou todos os vereadores para somarem consigo em um ofício já encaminhado à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e no acionamento dos membros da bancada federal de Mato Grosso para que intervenham pelo interesse maior de Primavera e da região.

“Imagine o que será do Rio das Mortes se acontecer essa mineração? Estamos falando de uma fonte de recurso natural capaz de matar a sede dos primaverenses por décadas, auxiliar na agricultura por meio da irrigação, enfim, uma preciosidade que não podemos, de maneira alguma, permitir ser colocada em risco”, declarou Nhonho com exclusividade ao BUPE.

Ainda aos colegas, o emedebista sugeriu celeridade e convocou para se juntar na força tarefa “Pró-Rio das Mortes” o Sindicato Rural e demais entidades representantes da sociedade civil organizada para reforçar o coro. “Não é uma causa só minha, mas nossa. Nenhum primaverense pode permitir que seus filhos e netos sejam condenados por essa eventual licença. Não permitiremos”, finalizou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here