Home Destaque Jovem que matou portador de HIV que teria o infectado em MT...
fullinterna_3
fullinterna_2


Jovem que matou portador de HIV que teria o infectado em MT seguirá preso

| Por Da Redação com informações RD News
Crime ocorreu em praça no centro de importante cidade de Mato Grosso. Foto - Real TV
O caixa, Henrique dos Santos de Oliveira, de 21 anos, teve a prisão em flagrante, que foi alvo no último sábado (8), convertida para preventiva, durante audiência de custódia, na tarde de ontem (9), em Sinop (a 500 km de Cuiabá), e com isso segue detido.

Ele é o principal acusado de matar um rapaz identificado pelas iniciais L.H.T.S., com uma facada no pescoço, por ter supostamente lhe transmitido HIV. O crime ocorreu na praça Plínio Callegaro, região central do município, no sábado (8).

A decisão judicial traz, com base nos relatos de Henrique, os detalhes de como ocorreu o homicídio. Henrique convidou a vítima para se encontrarem e, em dado momento, iniciaram uma discussão.

Ele acreditava que a vítima lhe transmitiu uma doença contagiosa que, segundo a ocorrência registrada na Polícia Civil, era HIV. A vítima teria retirado uma faca de dentro da bolsa. Eles iniciaram uma luta corporal.

Henrique se apossou faca e desferiu um golpe na região do pescoço da vítima, que ainda tentou fugir, mas caiu 50 metros de onde foi esfaqueado. O suspeito tentou fugir depois da facada, mas foi pego por policiais militares.

Ao determinar a prisão preventiva, a juíza Rosângela Zacarkim dos Santos, da 1º Vara Criminal de Sinop, verificou que o crime praticado por Henrique é doloso (com intenção de ferir ou matar) e que tem pena superior quatro anos de prisão.

A magistrada também aponta que, como Henrique mora em Lucas do Rio Verde, é necessário a prisão para aplicação da lei penal por receio de fuga.

“A gravidade em concreto do delito em comento, associada às declarações do próprio autuado e das testemunhas ouvidas na fase extrajudicial, de igual forma, evidencia a necessidade de prisão preventiva do autuado para o fito de resguardar a ordem pública”, diz.

O homicídio ainda segue sob investigação na Polícia Civil.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here