Home Chicote Assembleia de Deus esclarece que assaltante de banco em Rondonópolis não é...
fullinterna_3
fullinterna_2


Assembleia de Deus esclarece que assaltante de banco em Rondonópolis não é pastor

| Por Da Redação NMT com Assessoria
Pastores José Genésio(esq,) e Ildro Rodrigues, da Assembleia de Deus de Rondonópolis. Foto - ATribunaMT

O pastor Ildo Rodrigues, secretário adjunto da diretoria da igreja evangélica Assembleia de Deus, em Rondonópolis, representante direto do pastor José Genésio da Silva, presidente da IEAD na cidade, esclareceu, na noite desta sexta-feira (7), que Raimundo Nonato de Souza, de 48 anos, preso em Rondonópolis durante um assalto que resultou na subtração de R$ 40 mil, em uma agência bancária local, não é um pastor da agremiação.

Diferente do que muitos veículos de comunicação divulgaram, aportados em falas informais levantadas por testemunhas, Raimundo é um membro cooperador da igreja, que teve seu encontro com Deus quando ainda estava no presídio da Mata Grande, para onde acaba de retornar. O pastor Ildo afirma que Nonato nunca recebeu da igreja tal cargo de liderança.

“Ele foi batizado nas águas, encontrou Jesus e como não podemos ter acesso a todos os atos da comunidade evangélica que existe dentro do presídio, Raimundo acabou, por algum momento, orando com seus irmãos de cela, louvando ao senhor e por seu perfil, eventualmente, pode ser que ali adquiriu certa liderança entre os dele. Mas isso jamais teve o crivo da igreja, a ponto de lhe ser atribuída tal nomenclatura”, detalhou.

Ildo acrescenta que o irmão Eli Alves foi quem sempre pastoreou e coordenou o trabalho da Assembleia de Deus dentro da Mata Grande. Eli perdeu a batalha para a COVID-19, em janeiro de 2021. “Raimundo chegou a ser solto pelo bom comportamento que acumulou, aqui fora o acolhemos, constituiu família e tornou se nosso cooperador, o que, obviamente, tem uma distância enorme até a posição de pastor”, reiterou.

O pastor diz que a igreja lamenta o fato, mas reforçou que apoia integralmente o trabalho da polícia e da Justiça no caso. ”Infelizmente, não podemos prever e muito menos impedir uma situação dessas. Muitos são os que nestas condições jamais retornam à sua antiga vida, mas há alguns que caem e a partir disso nós esperamos que a justiça dos homens faça seu trabalho, não nos resta mais nada. Deus, em sua infinita misericórdia, sempre estará de braços abertos pra ele e pra todos nós”, finaliza Ildo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here