Home Editorias Política Hospital regional de Barra do Bugres será municipalizado e reformado
fullinterna_3
fullinterna_2


Hospital regional de Barra do Bugres será municipalizado e reformado

| Por


Foto: AHMAD AFIF JARRAH

Fechado há cerca de nove meses, o Hospital Regional de Barra do Bugres será municipalizado e iniciará reforma para reabertura. O anúncio foi feito pelo prefeito, Dr. Divino Henrique (PDT), em reunião com o deputado estadual Professor Allan Kardec (PDT), na última terça-feira (4), na Assembleia Legislativa. O deputado conseguiu destravar R$ 4 milhões que viabilizarão a reforma, além de recursos para custeio mensal junto à Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Para Kardec, “a gestão política liderada pelo nosso mandato junto ao nosso prefeito pedetista, o médico Dr. Divino, a Assembleia Legislativa, com o apoio dos deputados Dr. João e Eduardo Botelho e a Câmara Municipal de Barra do Bugres foi fundamental para concretização deste projeto”, afirmou o deputado.

Para o prefeito Divino Henrique, “a articulação do deputado Allan Kardec foi fundamental para que esse importante recurso chegasse ao município. Com a parceria e empenho dos deputados Dr. João e Eduardo Botelho e os vereadores, finalmente poderemos ter de volta o atendimento à saúde no município”, finalizou o prefeito.

O Hospital era administrado pelo Consórcio Intermunicipal da Região, mas o convênio com o Estado venceu em julho de 2020. Desde então existia uma promessa de reforma e reabertura que foi prorrogada diversas vezes.

Mesmo com a municipalização, o hospital terá perfil regional, por atender a demanda de saúde de cerca de oito municípios no entorno, Tangará da Serra, Arenápolis, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Nova Marilândia, Santo Afonso, Denise, Nortelândia e Porto Estrela. Juntamente com o Novo Hospital Regional de Tangará da Serra e com o Hospital Microrregional de Arenápolis, toda a demanda de saúde da região estará contemplada.

Atualmente, o hospital regional conta com 66 leitos de enfermaria e estava tendo sua estrutura deteriorada pela falta de utilização, por isso a preocupação com a celeridade da reforma.

Fonte: ALMT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here