Home Cuiabá Deputados contestam a inversão de valores na vacinação de presos antes dos...
fullhome_2
fullhome_1

Deputados contestam a inversão de valores na vacinação de presos antes dos agentes da segurança pública de MT


| Fonte: Da Redação NMT com Assessoria
claudinei e leonardo
Os parlamentares Dr. Leonardo e Delegado Claudinei lutam para a inclusão dos integrantes da segurança pública como prioridade na imunização. Foto - Assessoria

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) busca garantir a inclusão dos profissionais da segurança pública de Mato Grosso na lista de prioridade imediata de vacinação contra a Covid-19. Para resolver essa situação, o parlamentar solicitou apoio e intervenção do coordenador da bancada federal de Mato Grosso, deputado Dr. Leonardo (SD), para que a categoria seja beneficiada já que os servidores mantêm, de forma contínua, a prestação de serviços para a sociedade desde o início da pandemia.

A assessoria jurídica de Claudinei chegou a levantar informações sobre a situação dos servidores que foram acometidos pela doença por meio das instituições de segurança pública e sindicatos. Os dados apontaram que foram infectados mais de 2 mil profissionais ativos e ocorreram cerca de 21 mortes dentro da categoria.

Inversão de Valores

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19 priorizou a imunização da população carcerária antes dos integrantes da segurança pública, o que gerou desconfortos para a categoria. “As forças de segurança pública se expõem à Covid-19 e a outros perigos diariamente. É uma inversão de valores vacinar primeiro quem está pagando por um crime e deixar as forças de segurança que nos protegem do crime para depois. Por isso, solicitei ao Ministério da Saúde e ao governo de Mato Grosso a inclusão das forças de segurança nas fases prioritárias. Nessa luta, conto com o deputado estadual Delegado Claudinei”, declarou Dr. Leonardo.

Segundo o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, as autoridades da saúde devem dar prioridade à vacinação de servidores e pessoas privadas de liberdade para evitar o aumento de gastos com a prevenção e assistência à saúde e gerar o aumento de presos infectados nas unidades hospitalares. Também apontou que 42.517 presos foram contaminados e 133 chegaram ao óbito pela Covid-19, entre março de 2020 e janeiro de 2021, conforme dados apresentados pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

“Não compreendo essa inversão de valores. Cheguei a visitar 13 polos regionais da Região Integrada de Segurança de Mato Grosso, ano passado, vi de perto a situação do Sistema Penitenciário. As visitas estavam interrompidas, os presos estavam tendo atendimentos por meio de videoconferência para evitar a disseminação da doença. Sem contar que o detento que acabava de ser preso, ficava isolado dos outros presos, em observação, até terem a certeza que não estava contaminado para se juntar aos demais. Até os projetos de ressocialização, conforme a atividade, tiveram que ser suspensas”, declara Claudinei.

Avanços – Claudinei apresentou indicação de n.º 1.984/2021, nesta segunda-feira (22), à Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES) e Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) para priorizarem a imunização aos integrantes da segurança pública. Logo, o parlamentar ficou satisfeito ao saber que o ministro André Mendonça, no dia seguinte, enviou ofício ao Ministro da Saúde e citou a situação de vulnerabilidade destes profissionais que estão trabalhando nas ruas com altos riscos de contaminação.

Pandemia – Na última atualização do Boletim Epidemiológico do Governo do Estado de Mato Grosso, do dia 25 de março de 2021, já são 297.712 casos confirmados de Covid-19, com 7.168 óbitos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here