Home Destaque Reeducandos trabalham no plantio de 18 mil mudas de abacaxis
fullinterna_2

PROJETO SEMEAR


Reeducandos trabalham no plantio de 18 mil mudas de abacaxis

O cultivo é realizado no entorno da Penitenciária, que conta com uma área de um hectare

| Por Redação

Visando à capacitação para o cultivo e a oportunidade do trabalho no campo, a Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira (Ferrugem), em Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), tem desenvolvido junto aos reeducandos o plantio de 18 mil mudas de abacaxis. A atividade é viabilizada por meio do projeto Semear, em parceria com o Conselho da Comunidade de Sinop (CCS), Poder Judiciário de Mato Grosso e Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Sinop.

O trabalho é realizado por um grupo de seis reeducandos, que desenvolvem diariamente tarefas como: preparação de solo, adubação, plantio, irrigação, limpeza e colheita. Além disso, quatro recuperandos aguardam autorização da Justiça para atuar na produção. O cultivo é realizado no entorno da unidade, que conta com uma área de um hectare (10.000m²).

De acordo com o diretor da Penitenciária, Adalberto Dias de Oliveira, o projeto tem um efeito muito positivo. “Esta iniciativa não visa lucros e sim a ressocialização das pessoas privadas de liberdade, oferecendo a eles a oportunidade de trabalho digno, possibilitando o retorno à sociedade com uma nova perspectiva de vida”.

Todo o fruto da colheita é destinado ao comércio local. Os recursos angariados com a venda são divididos entre os recuperandos e a manutenção do projeto Semear. A meta é chegar ao plantio de 25 mil mudas de abacaxi nos próximos meses.

Conforme o diretor executivo do Conselho da Comunidade de Sinop, José Magalhães Pinheiro, a relevância de trabalhos como este está na promoção do aprendizado e na mudança de comportamento.

“O recuperando aprende uma profissão, além de ganhar um percentual do produto vendido, pelo qual ele se mantém e também ajuda a família. Isso é uma iniciativa louvável e acredito que todas as unidades penais deveriam oportunizar trabalho para seus reeducandos”, pontuou.

A cada três dias trabalhados, é descontado um dia da pena da pessoa privada de liberdade. Os trabalhos no campo são diários, das 6h às 16h, respeitando os intervalos para almoço e descanso.

Projeto Semear

O projeto é desenvolvido com a parceria de órgãos públicos, e utiliza mão de obra de recuperandos do regime fechado para o plantio e cultivo de hortifrúti. Criado em 2017, o projeto tem rendido bons frutos. Só no ano passado, em 2020, foram colhidas cerca de 11 toneladas de abacaxis no entorno da Penitenciária de Sinop.

Além do abacaxi, também são cultivados pepino, berinjela, quiabo, jiló, batata doce, pimenta, pimentão, dentre outras variedades.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here