Home Destaque Experiência rondonopolitana dá bons resultados e é levada para outras regiões de...
fullinterna_3
fullinterna_2

PATRULHA RURAL


Experiência rondonopolitana dá bons resultados e é levada para outras regiões de MT

Iniciativa pioneira que surgiu em Rondonópolis no ano de 2014, por obra do então Capitão Gleber Moreno Cândido

| Por Denilson Paredes

Uma experiência inovadora e que rendeu bons frutos, a Patrulha Rural Georreferenciada, que foi pensada e aplicada pela primeira vez em Rondonópolis, é um exemplo de como a experiência policial e a parceria dos policiais com a sociedade, usando das novas tecnologias disponíveis, pode resultar em mais segurança para o cidadão, sem o aumento de despesas e sem a necessidade de aumento de efetivo.

Iniciativa pioneira que surgiu em Rondonópolis no ano de 2014, por obra do então Capitão Gleber Moreno Cândido, que na época comandava a Força Tática, a Patrulha Rural Georreferenciada consiste basicamente no cadastramento das propriedades rurais e na criação de um canal direto de comunicação entre os policiais militares e as pessoas que vivem nas propriedades rurais do município.

“No início, a gente cobria apenas as comunidades rurais mais próximas da cidade”, conta o tenente-coronel Cândido, criador do Patrulhamento Rural – Foto PM

O militar conta que a iniciativa começou de forma despretensiosa, mas no decorrer do tempo tomou corpo e hoje já mostra resultados. “Nós não tivemos inspiração em nenhum outro local. É uma solução caseira, nativa. Nós começamos a fazer sem tantos recursos operacionais e humanos, somente no entorno de Rondonópolis. Porque estávamos preocupados com o grande número de roubos e furtos que estavam acontecendo nesse entorno”, contou o agora tenente-coronel Cândido.

“No início, a gente cobria apenas as comunidades rurais mais próximas da cidade, como a Gleba Rio Vermelho, região da Mata Grade, Campo Limpo e outras da mesma forma próximas da cidade. Mas com o decorrer do tempo, ficou claro que havia a necessidade de se obter mais informações para se poder atender com rapidez as ocorrências, pois é sabido a dificuldade que é localizar uma propriedade rural”, contou.

Com muitas dificuldades para fazer a cobertura dessas áreas, distantes da cidade e muito espalhadas, além de serem de difícil acesso, o jeito foi usar a inteligência e buscar formas de agilizar esse atendimento. “Também descobrimos que o (número de telefone) 190 não funciona zona rural. Então, nós tínhamos que pensar outro meio para o acionamento da polícia. Foi a partir daí que chegamos na Patrulha Rural Georreferenciada, que nada mais é do que fazer o cadastramento da propriedade, tiramos a sua posição geográfica georreferenciada, criamos uma placa de identificação para essa propriedade, criamos um grupo de WhatsApp onde o proprietário ou responsável pode acionar a PM durante 24 horas por dia. Esse número foi criado só para o recebimento de denúncias. Então, qualquer mensagem desse grupo é indício de algo errado e nós já temos a localização desse fato”, completou Cândido.

É por meio dessas coordenadas, que é possível a chegada da PM aos locais mais distantes e de difícil acesso da zona rural em pouco tempo, o que por si só já inibe os criminosos. “Vários casos já foram solucionados e vários crimes evitados, assim como a prisão de drogas, crimes ambientais e outros. Tudo proveniente da troca de informações do grupo da Patrulha Rural Georreferenciada”, conta o oficial.

Outro ponto importante que o comandante da PM ressalta é que a isso não implicou em gastos ou aumento de efetivo para ser implementada, mas apenas o uso da experiência policial, da parceria com a sociedade e do uso de tecnologias que já estão disponíveis no dia-a-dia da maioria das pessoas. “Mas nada disso ainda seria possível sem um policial motivado a fazer bem o seu trabalho, imbuído no espírito da segurança pública, em trazer a lei e o sossego para junto do cidadão. Sem todos esses fatores reunidos, não seria a mesma coisa e talvez não tivéssemos os mesmos resultados”, concluiu.

Institucionalização

Cândido conta que em 2018 começou a escrever um trabalho monográfico onde contava a experiência, de forma científica, que acabou sendo apresentado ao Comando da instituição no estado, que por sua acabou institucionalizando a Patrulha Rural Georreferenciada e foi criado o seu Procedimento Operacional Padrão (POP). Desde 18 de novembro de 2020, foi institucionalizado oficialmente pela PM e a metodologia de ação agora é padronizada em todo o estado, tendo como base a experiência rondonopolitana.

Como criador da ideia e proponente da adoção da Patrulha Rural pela PM no estado, Cândido tem palestrado para colegas de farda e tem sido o responsável pela implantação da mesma nas diversas regiões do estado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here