Home Editorias Agricultura Senar e instituição da Austrália trocam experiências sobre estratégias de ensino profissional
fullinterna_3
fullinterna_2


Senar e instituição da Austrália trocam experiências sobre estratégias de ensino profissional

| Por


Centro de Excelência em Fruticultura em Juazeiro (BA). (Registro anterior à pandemia) 

Brasília (19/05/2021) O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) promoveu, na terça (18), o segundo seminário virtual em parceria com a entidade de educação profissional da Austrália Tafe Directors.

A iniciativa, que teve o apoio da Embaixada da Austrália, serviu para aproximar as duas instituições para a troca de experiências voltadas para oferta de educação profissional, as transformações no setor de fruticultura e o papel dos instrutores na oferta de um ensino de qualidade nos dois países.

O evento teve a participação da diretora de Educação Profissional e Promoção Social do Senar, Janete Almeida, coordenadores e representantes das equipes pedagógicas do Senar e do Tafe Directors.

Caju, fruta tipicamente brasileira
Caju, fruta tipicamente brasileira

Janete destacou que o Brasil é um dos maiores produtores de frutas do mundo. “Isso está no foco das atividades do Sistema CNA/Senar como forma de contribuir no aumento da produtividade rentabilidade do produtor e ampliação de acesso a mercados”.

“Por isso, momentos como esse são importantes para discutirmos a organização do processo da educação profissional para a cadeia produtiva da fruticultura”, ressaltou.

A assessora técnica de fruticultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Letícia Fonseca, apresentou a fruticultura brasileira e as recentes transformações tecnológicas e nos métodos de produção.

Em seguida, a diretora internacional da instituição de ensino da Austrália SuniTAFE, Camille Mansell apresentou a hortifruticultura do país e como o ensino profissional pode  dar uma resposta às demandas do setor produtivo por profissionais com novas habilidades decorrentes das inovações tecnológicas.

Formação por competências – A coordenadora de Formação Profissional e Promoção Social do Senar, Deimiluce Fontes Coaracy, e a coordenadora de Educação Formal da entidade, Maria Cristina Ferreira, detalharam a organização curricular dos cursos de Formação Inicial e Continuada e de Técnico de Fruticultura do Senar baseada em competências.

“É um desejo institucional atender todas as cadeias produtivas em um modelo baseado em competências. Assim o Senar oferece aos produtores e trabalhadores rurais uma sequência coerente de acordo com a necessidade do mercado de trabalho”, explicou Deimiluce.

Maria Cristina mostrou o processo para criação e organização do curso técnico a distância em Fruticultura do Senar.

“Compreendemos a identificação do perfil profissional para elaborar as competências, as capacidades básicas e os conhecimentos que serão fundamentais para a construção completa do itinerário profissional passando pelas  qualificações e atualizações tecnológicas”.

Os participantes ainda acompanharam as apresentações de John Piccirillo e Lara Collins, do Tafe Directors, respectivamente, sobre ferramentas para consulta com o setor produtivo e estratégias para desenvolver novas habilidades e competências nos instrutores e o apoio para atualização continuada.

Assessoria de Comunicação CNA

Foto: Tony Oliveira e Wenderson Araujo/Banco de imagens Sistema CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here