Home Chicote Primavera deixa Rondonópolis longe e é a maior referência regional na pandemia
fullinterna_3
fullinterna_2


Primavera deixa Rondonópolis longe e é a maior referência regional na pandemia

| Por Da Redação NMT

A população de Primavera do Leste recebeu, nos últimos dias, a notícia que passa a contar com mais 10 leitos de UTI COVID na cidade. Ao todo, por meio de uma parceria entre Prefeitura, Governo do Estado e o Hospital e Maternidade São Lucas, somam-se 30 leitos à disposição dos infectados da rede pública com caso agravado.

Rondonópolis, maior cidade do interior e referência na região sul, apesar de próxima de 240 mil habitantes, enquanto Primavera possui 63, conta com apenas 40 leitos. Isso significa, na prática, uma UTI pra cada 2.100 primaverenses e uma UTI pra cada seis mil rondonopolitanos.

As 10 mais recentemente instaladas em Rondonópolis, na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, encontram-se em condições extremamente deficitárias, inclusive com ausência de um tomógrafo, que é tido como essencial no acompanhamento da evolução da doença no pulmão, bem como a falta de estrutura para hemodiálise.

Talvez a melhor explicação para o sucesso do jovem Léo Bortolin (MDB) em relação as complicações do veterano Zé do Pátio (SD), os dois respectivos prefeitos das duas cidades, esteja na postura de abrir-se a parcerias com a rede privada, coisa que o primeiro executa sem nenhum problema e o segundo torce o nariz completamente.

No São Lucas de Primavera, por exemplo, o respaldo técnico é completo, além de uma filosofia de atendimento que tem feito a diferença, segundo sustenta o prefeito da cidade. “Temos aqui tudo de mais moderno e avançado, mas ressalto o tratamento humanizado como diferencial. O parente ou amigo do internado, que está ali orando e amparando essa pessoa em um momento tão difícil, é tratado com dignidade e conta com seu espaço”, comenta Léo.

Proporcionalmente, para ter uma oferta parecida com Primavera, tendo quatro vezes o tamanho em população, o prefeito de Rondonópolis deveria ter hoje 120 vagas disponíveis no SUS. Agrega-se aí o agravante de que a cidade de Pátio é muito mais procurada por infectados dos 20 municípios de toda região sul/sudeste que o município do emedebista.

Durante inauguração dos 10 leitos do São Lucas, nesta semana, a deputada estadual, Janaína Riva (MDB), aliada e amiga de Pátio, marcou presença e não economizou elogios a Léo ao ressaltar que Primavera é um exemplo a ser seguido pelo estado e pelo Brasil.

“Pra gente é um “case” de sucesso. Viemos com o presidente da ALMT (Max Russi) justamente pra que possamos ver o trabalho do Bortolin e notar o diferencial da gestão. Estamos percebendo uma preocupação muito grande com a vacinação e em paralelo a questão dos leitos de UTI”, salientou.

Voltando as UTIs, o líder legislativo estadual, Max Russi (PSB), concordou Janaína e salientou que os 10 novos leitos inaugurados são uma grande notícia para todo o estado. “Neste momento em que está faltando leito de UTI e temos dificuldade de atender a população, essa abertura é importante para Primavera e também para Mato Grosso. Dá condição do povo buscar tratamento melhor”, comentou.

Recentemente, a Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis, que possui já 20 leitos conveniados, estipulou um investimento total de R$ 10 milhões para que o Município garantisse até o fim do ano a abertura de mais 10 leitos na unidade, que conta com estrutura física e de recursos humanos pra tal.

Pátio disse não e preferiu aprovar R$ 25 milhões no legislativo local para abrir os mesmos 10 leitos na UPA Municipal, mesmo com as deficiências técnicas já citadas. Segundo justificou o prefeito, parte do recurso será destinado também para o restante da rede de amparo à saúde e não foi divulgado o que será consumido só nas UTIs.

Outro ponto a se destacar em Primavera é a 3ª colocação no ranking estadual de vacinação durante o mês de março. Das 5.222 doses recebidas até o fim do último mês, mais de 82% foram aplicadas, índice que fez a cidade se destacar na eficiência e celeridade de imunização.

Assim como é na guerra, são nos momentos de crise que se conhecem as qualidades e os defeitos dos gestores públicos. A pandemia está descortinando muita coisa e deixando claro ao povo quem tem condições de ser o futuro e outros que, talvez, nunca deveriam ter saído do passado…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here