Home Cuiabá Assembleia Social oferece Oficina de Produção de Sabão em comunidade terapêutica de...
fullinterna_3
fullinterna_3
fullhome_1

Assembleia Social oferece Oficina de Produção de Sabão em comunidade terapêutica de Várzea Grande


| Fonte:
oficina
Assembleia Social está retomando a oferta de oficinas gratuitas à população

A Assembleia Social está retomando, de forma gradual, a oferta de oficinas gratuitas, para grupos controlados e resguardando as orientações de biossegurança. Na quinta-feira (18), ofereceu a Oficina de Sabão a 10 assistidos da Comunidade Terapêutica Missão Filho do Homem, em região afastada de Várzea Grande, e a três mulheres da vizinhança.

A assistente social Sabrina Rosa Batista Ferreira, da equipe da AL Social, contou que a produção de sabão será utilizada para consumo interno e para posterior venda, com arrecadação voltada à manutenção da casa de recuperação. Além disso, o objetivo é “levar atividades para eles [assistidos], ocupar o tempo deles e oferecer uma formação que possa gerar renda”, explicou.

A diretora da Assembleia Social, Daniella Paula Oliveira, explicou sobre a retomada das oficinas. “Sabemos que vivemos um momento delicado, mas temos muitos pedidos de instituições filantrópicas para oferta de oficinas. Os atendidos sempre são grupos vulneráveis, que precisam de atenção. Dessa forma, buscamos tomar todas as medidas cabíveis, mas ainda assim levar atividades, boas maneiras de ocupar a mente e, caso sigam produzindo, contribuir com a renda das famílias”.

O presidente do centro de terapia para dependentes de álcool e outras drogas, Neres Alves das Neves Júnior, já conseguiu algumas embalagens para a produção de sabão líquido e vislumbra que a venda dos produtos contribua com a instituição filantrópica e com a vizinhança. “Mas nossa maior intenção nem é fazer um produto, mas fortalecer a parceria com a Assembleia Social, para abraçar a comunidade vizinha”, comenta. A comunidade terapêutica atende, atualmente, a 20 homens em tratamento de dependência química.

A professora de artesanato Elizabeth Ferreira disse ter gostado muito de ter trabalhado com uma turma formada por maioria de homens. “Quando fiquei sabendo que a oficina era em uma casa de recuperação, meu coração encheu de amor”. E assegurou que “eles gostaram muito e já estão ansiosos para o próximo curso. Todos se mostraram muito interessados”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here