Home Destaque Empresário de MT leva golpe de R$ 1 milhão ao vender pedras...
fullinterna_3
fullinterna_3
fullhome_1

Empresário de MT leva golpe de R$ 1 milhão ao vender pedras preciosas


| Fonte: Da Redação NMT com G1
pedras
Foto: Polícia Militar de Mato Grosso

Três homens foram presos em flagrante por estelionato, na madrugada desta quarta-feira (17), suspeitos de aplicarem um golpe contra um empresário em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Eles pagaram mais de R$ 1 milhão em notas falsas para comprar pedras preciosas da vítima.

Eles foram presos na cidade de Jataí (GO). O dono de uma empresa de lapidação, em Várzea Grande, registrou boletim de ocorrência alegando ter sido vítima de um golpe. Ele contou aos policiais que combinou a venda de dois lotes de pedras preciosas, diamantes e esmeraldas, com um homem.

A negociação ocorreu no Aeroporto Marechal Rondon, no início da tarde de terça-feira (16).

— Foto: Polícia Militar de Mato Grosso

Logo que realizou a entrega das pedras para o suspeito e já dentro do seu veículo, percebeu que todas as notas que inteiravam R$ 1,1 milhão, do pagamento, eram falsas. O dinheiro falso foi entregue na Polícia Federal.

Imediatamente ele informou para as autoridades policiais. Pelo circuito de segurança foi percebido que o suspeito entrou em um veículo Corola preto, que já o aguardava próximo do saguão com um motorista que saiu em alta velocidade.

Com a informação que os criminosos seguiam para o estado de Goiás, a PM de Mato Grosso solicitou apoio dos colegas do estado vizinho.

Já na madrugada, os militares realizavam patrulhamento pela rodovia próximo a cidade de Jataí e identificaram o Corola preto.

Na ordem de parada, os militares iniciaram a vistoria no carro com os três homens. Foi encontrado um pacote com 232 pedras de diamante e 95 gramas de pedra de esmeralda embalada em plástico transparente.

O trio foi entregue na Delegacia da Polícia Federal.

Os três já possuem antecedentes criminais sendo alguns deles pelo mesmo crime que estavam sendo presos. Contaram passagens por extorsão, lesão corporal, moeda falsa, estelionato, injúria e ameaça.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here