Home Chicote Mauro Mendes quer obrigar “donos” de tornozeleiras eletrônicas a pagar por elas
fullinterna_3
fullinterna_3
fullhome_1

Mauro Mendes quer obrigar “donos” de tornozeleiras eletrônicas a pagar por elas


| Fonte: Da Redação NMT com O Livre
Mauro Mendes
O projeto de lei, assinado pelo governador, já foi enviado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O valor da cobrança ainda será definido, Foto - Reprodução

O governador de Mato Grosso quer obrigar cidadãos monitorados por tornozeleira eletrônica a pagar pela utilização do equipamento.

O valor cobrado será destinado ao Fundo Penitenciário Estadual de Mato Grosso e revertido em investimentos nas unidades prisionais.

O projeto de lei, já enviado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT, só não especifica qual será o valor da cobrança.

O custo será definido pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, que vai levar em consideração os gastos com o monitoramento eletrônico.

Também deve ser levada em conta a capacidade econômica do “tornozelado”. A proposta do governo é que um juiz determine o pagamento, que teria que ter que efetuado em até 10 dias, após ser colocado o equipamento.

O não pagamento levaria à inscrição na dívida ativa, pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). Na hipótese de o preso provisório ser absolvido ou extinta a ação penal, a inscrição na dívida ativa seria extinta.

Atualmente, o custo médio de um reeducando no sistema prisional variar de R$ 1,9 mil a R$ 5 mil mensais, dependendo da unidade prisional.

Entram nesta conta despesas com alimentação, saúde, escola e custos de manutenção, como energia elétrica e água. A tornozeleira eletrônica é uma medida que substitui o cumprimento da prisão preventiva e também aplicada em penas do regime semi-aberto, quando o condenado trabalha durante o dia e dorme na cadeia.

A proposta, que é assinada pelo governador Mauro Mendes (DEM), foi encaminhada a Assembleia Legislativa de Mato Grosso. A mensagem foi lida em plenário na sessão ordinária que ocorreu na quarta-feira (10).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here