Home Editorias Geral Polícia investiga se sogro de mulher morta por marido por causa de...
fullinterna_3
fullinterna_3
fullhome_1

Polícia investiga se sogro de mulher morta por marido por causa de futebol a roubou


| Fonte: Redação NMT com G1
Polícia
Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil investiga o furto dos bens da representante comercial, Érica Fernandes Alves Ceschini, torcedora palmeirense que foi morta a facadas pelo marido corintiano, Leonardo Souza Ceschini.

O assassinato ocorreu após uma suposta briga por futebol, em 31 de janeiro, um dia após o Palmeiras conquistas a Libertadores da América. O crime ocorreu no apartamento do casal no bairro São Domingos, Zona Oeste da capital.

O sogro da vítima e pai do assassino, Alexandre Estevam Ceschini, é o principal suspeito de levar o carro dela, duas TVs, um micro-ondas, eletroeletrônicos e joias. O furto foi cometido enquanto o corpo da representante comercial era velado e sepultado no dia 1º de fevereiro.

Até a última atualização desta reportagem, os bens da vítima ainda não tinham sido devolvidos. Também não foi informado o porquê de eles terem sido levados. O assassino, no entanto, continuava preso, mas permanecia internado num hospital por causa dos ferimentos. A faca que ele usou foi apreendida.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado por parentes da representante comercial assassinada, o sogro de Érica e outras pessoas levaram os bens que estavam dentro do apartamento onde o casal morava com os filhos gêmeos de 2 anos.

Até o celular da vítima e documentos das crianças foram furtados por uma mulher que seria advogada da família do marido, ainda segundo a polícia. Os meninos estão provisoriamente com os avós maternos.

Procurado pelo G1, o autônomo Alexandre não havia comentado o assunto até a publicação desta reportagem. Por telefone, o sogro de Érica havia dito pela manhã que não poderia falar. “Estou dirigindo. Só poderei falar ao final da tarde”, falou na terça-feira (8).

A reportagem não conseguiu contato com a mulher citada no registro policial feito no 33º Distrito Policial (DP), Pirituba, como sendo a advogada responsável por levar do imóvel o telefone de Érica e documentos dos filhos.

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here