Home Editorias Brasil Câmara e Senado elegem novos presidentes nesta segunda (1)
fullinterna_3
fullinterna_3
fullhome_1

Câmara e Senado elegem novos presidentes nesta segunda (1)


| Fonte: Da Redação NMT com g1 e Poder360
Câmara e Senado
Mandato para os substitutos de Maia e Alcolumbre terá duração de 2 anos. Eleição começa às 14h no Senado e sessão da Câmara inicia às 19h. Foto - Sérgio Lima/Poder360

Deputados e senadores decidem, de maneira presencial, nesta segunda-feira (01) quem serão os futuros presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal pelos próximos dois anos.

Cada casa, realiza sua eleição em horários diferentes. O Senado deve iniciar o pleito às 14 horas, com eleição presencial, secreta e feita por cédula de papel.

Na Câmara, está marcado o início da sessão para às 19 horas. A eleição será presencial, secreta e feita em urna eletrônica.

As cabines de votação foram instaladas no Salão Verde da casa já na última segunda (25).

Nomes da Câmara

Oito deputados estão na disputa na Câmara, mas o número pode mudar, já que o prazo para as candidaturas serem oficializadas vai até as 17h.

Os principais nomes na corrida são o do líder do chamado Centrão, Arthur Lira (PP-AL), que tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro; e o de Baleia Rossi (MDB-SP), candidato do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A previsão é de disputa apertada, até por isso ambos os lados esbanjam otimismo para tentar influenciar parlamentares.

Pelo regimento da Câmara, um candidato só é eleito em primeiro turno se conquistar a maioria absoluta (metade mais um) dos votos, desde que 257 parlamentares tenham votado.

Se isso não ocorrer, haverá um segundo turno com os dois mais votados. Vence a eleição quem obtiver maioria simples dos votos, desde que haja quórum de 257 deputados.

Nomes do Senado

Cinco senadores anunciaram que vão participar da eleição no Senado: Rodrigo Pacheco (DEM-MG); Simone Tebet (MDB-MS); Lasier Martins (Pode-RS); Major Olimpio (PSL-SP); e Jorge Kajuru (Cidadania-GO).

Pacheco é o favorito no páreo, conta já com o apoio de dez partidos e com o “aval” do presidente da República, Jair Bolsonaro, bem como do próprio Davi Alcolumbre (DEM), que deixa o comando do alto parlamento.

Simone Tebet figurava como a principal adversária, mas teve seu nome enfraquecido por seu próprio partido, que não fechou questão na causa.

Assim como na Câmara, o pleito encerra-se no primeiro turno com um candidato conseguindo metade dos presentes mais um, o que soma 41 senadores, caso todos estejam presentes.

Do contrário, os dois mais votados avançam para um segundo turno. O Senado, diferente da Câmara, não terá a definição dos nomes de toda a Mesa Diretora já nesta mesma sessão se eleição do seu presidente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here