Home Editorias Geral PM chamado de ‘macaco’ promete processar presidente do PT
fullinterna_3
fullinterna_1
fullinterna_3

PM chamado de ‘macaco’ promete processar presidente do PT


| Fonte:
Sexta, 18 de Setembro de 2020 - 18:50 Mulher chama PM negro de 'macaco' após se envolver em briga em Salvador

A defesa do PM agredido e chamado de “macaco” durante uma ocorrência no bairro Vale dos Lagos, Salvador, na quarta-feira (16), prometeu que irá processar o presidente do PT de Curaçá e toda a diretoria da sigla envolvida na aprovação de uma nota de apoio a agressora, identificada como Libânia Maria das Torres. No perfil do Instagram, o PT municipal de Curaçá, alegou que o termo utilizado por Libânia para ofender o policial “não é racismo”.

Assista:

“Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas [Libânia] lutas e, creditamos as palavras, que foram ditas não a racismo, mas a cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de macaco”, diz a nota publicada no dia 19 de setembro e assinada por Júlio Cézar Lopes, presidente municipal da sigla e candidato a vereador.

O texto, ainda reforça: “Lamentamos o acontecido e reafirmamos o nosso respeito e solidariedade a ela e sua família”.

“Como ele é o presidente do partido, vamos processá-lo. Caso o conteúdo tenha passado por uma reunião, por pessoas que também tenham sido coniventes, vamos processar também. Isso é lamentável e vai de encontro a toda uma história que o PT prega”, enfatiza Marinho Soares, advogado do policial militar.

O Bahia Notícias fez contato por telefone com Júlio Cezar, mas este alegou que se explicaria por meio de nota.

 

VEJA NA ÍNTREGA A NOTA PUBLICADA PELO PT DE CURAÇÁ:

 

NOTA DE APOIO

 

A presidência municipal do Partido dos Trabalhadores – PT de Curaçá vem, de público, manifestar seu apoio a companheira Libânia Torres, por saber da sua caminhada de LUTA e de respeito as pessoas. Em todos os sentidos.

 

Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas lutas e, creditados as palavras, que foram ditas não a RACISMO, mas a cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de Macaco.

 

Ao mesmo tempo, lamentamos o acontecido e reafirmamos o nosso respeito e solidariedade a ela e sua família.

 

Curaçá-BA, 19 de setembro de 2020.

Júlio Cézar Lopes
Presidente do PT de Curaçá-BA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here