Home Editorias Geral Ex-secretário do Ministério da Saúde faz alerta impactante sobre a pandemia no...
fullinterna_3
fullinterna_1
fullinterna_3

Ex-secretário do Ministério da Saúde faz alerta impactante sobre a pandemia no Brasil


Brasil segue figurando como um dos países mais afetados pela pandemia em escala global.
| Fonte: I7News
Exame - Reprodução

A pandemia do coronavírus segue registrando novos casos de infectados e óbitos em larga escala no Brasil nas últimas semanas. No momento, em escala global, o país sul-americano é o segundo mais afetado pela Covid-19, e segundo especialistas o cenário não muito animador.

Em conversa em um grupo de Whatsapp que o portal Metrópoles teve acesso, o ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse na noite do último domingo (19) que teme que “estejamos em uma aceleração descontrolada de casos” da Covid-19.

“Considerando a incidência de casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave, a tendência é de aumento”, escreveu Wanderson de Oliveira, no grupo de WhatsApp.

O epidemiologista que deixou a pasta no dia 25 de maio, justificou a fala se baseando na incidência alta de casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Por conta da falta de testagem, inúmeras pessoas com a Covid-19 podem ter sido diagnosticas com a SRAG, sendo que o número de mortes com causa registrada de SRAG aumentou significativamente.

Segundo o ex-secretário, que era braço-direito do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, apenas a região noroeste do país, composta por Acre, Amapá Pará, Amazonas, Rondônia e Roraima, pode afirmar que estão em queda efetiva.

Números exponenciais

Nas últimas semanas, o Brasil passou a registrar um número elevado diários de novos óbitos em decorrência da pandemia do coronavírus, superando a barreira de mil mortes por dia.

No último balanço divulgado, o país já computava mais de 2 milhões de infectados e quase 80 mil mortos. São Paulo, Ceará e Rio de Janeiro seguem como principais epicentros nacionais.

megafullhome_meio

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here