Home Editorias Cultura Com 17 anos, garota confeiteira abre loja online e inova no mercado
fullinterna_2
megafull2
fullinterna_3

Com 17 anos, garota confeiteira abre loja online e inova no mercado


| Fonte: Da Redação NMT
Dona da @manubolosgourmet, a moradora de Rondonópolis impressiona pela personalidade das falas e dos produtos que comercializa. Foto - Arquivo Pessoal

O termo “talento precoce” personifica bem a história da jovem Emanueli Moreira Fachinetto, de Rondonópolis. Com apenas 17 anos, ela decidiu abrir sua própria loja online e faz sucesso com a venda de bolos goumert na cidade. Em entrevista exclusiva ao NMT, a empreendedora mostrou linguagem crítica sobre os produtos comumente encontrados no mercado e afirmou que preza por suas iguarias surpreenderem igualmente pela estética e sabor.

Testemunhando o importante valor dos cursos técnicos, ela explica que a paixão nasceu na escola. “Tudo começou com a minha entrada no Instituto Federal do Mato Grosso, no campus de Rondonópolis. Cursei “Alimentos”, integrado ao ensino médio, e fiz estágio em uma padaria, onde assumi o setor de confeitaria. Foi aí que comecei a me interessar pela área e decidi aprofundar fazendo um curso profissionalizante no Instituto Mix de Profissões de Confeitaria”, contou.

Inspirações da jovem empreendedora nasceram em curso profissionalizante. Foto – Arquivo Pessoal

A paixão, que para muitos adolescentes pararia no objetivo máximo de produzir para amigos e familiares, foi além, no caso de Emanueli. Ela decidiu comercializar seus bolos, utilizando-se do grande potencial das redes sociais, e iniciou um promissor negócio de vendas online. “Eu decidi empreender meu próprio negócio e criei minha loja virtual, a @manubolosgourmet. Eu montei em minha própria casa um ateliê para as produções”, detalha a confeiteira.

Emanueli conta que a especialidade em bolos também vem por um encantamento nascido durante os estudos. “Eu escolhi os bolos por ser a parte da confeitaria da padaria em que eu estagiava que mais me interessava. Eu ficava intrigada com a forma de produção dos bolos e os ingredientes que eram utilizados. Então, eu decidi que produziria bolos que, além de bonitos, seriam gostosos e eu mesma faria de forma caseira cada parte”, pontuou.

“Manú” não esconde as críticas sobre boa parte do que agora é sua concorrência. Foto – Arquivo Pessoal

A garota mostra um olhar autoditada em relação a um dos elementos mais fundamentais dentro do empreendedorismo que é “a percepção de consumidor”, algo que todo empresário precisa ter. Ela conta que a insatisfação pelo que comprava também foi outro fator a estimulá-la a iniciar seu negócio. “Me incomodava ir aos mercados e padarias, comprar bolos e me decepcionar com o sabor. Busco produzir sabores deliciosos e inesquecíveis, que antes de entregar ao meu cliente eu mesma aprovaria”, afirmou, com personalidade.

A mãe, a psicóloga Katiuscia Machado, é uma das grandes incentivadoras do trabalho de Emanueli. Ela considera a história de vida e profissional da menina um benção. “O bolo da “Manu” é diferenciado por não serem técnicas que o estruturam, mas sim por ser um dom dado por Deus”, resumiu.

megafullhome_meio
RodapeMat2

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here